Barragem do lago do Campus São Carlos da UFSCar passa por nova vistoria | Sistema Virtua
Cidade

Barragem do lago do Campus São Carlos da UFSCar passa por nova vistoria

Próxima providência será a redução do volume de água para evitar alagamentos

Na quarta-feira, dia 22 de novembro, Walter Libardi, Vice-Reitor da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), coordenou uma nova vistoria na barragem do lago do Campus São Carlos. Participaram da inspeção o coordenador da Defesa Civil Municipal, Pedro Caballero; o comandante do Corpo de Bombeiros de São Carlos, Capitão PM Jean Gomes Pinto; e membros do Comitê Gestor criado para gerenciar as ações na barragem com o objetivo maior de priorizar a segurança das pessoas.

“Nós estamos avaliando qual o risco físico, o nível de água que a barragem comporta e quais as medidas imediatas mitigadoras para evitar alagamentos”, disse Caballero. De acordo com registros da Prefeitura Universitária (PU), o lago já transbordou na via sobre a barragem em outras ocasiões, por isso há a preocupação com o volume de água. No atual cenário, o Corpo de Bombeiros de São Carlos também se colocou à disposição para colaborar. “Nós estamos avaliando os impactos e a nossa ideia é que, assim que parar de chover e o volume do lago reduzir, nós teremos como mergulhar e checar a situação das comportas”, afirmou o Capitão.

A redução da quantidade de água no lago é a próxima providência a ser tomada pela UFSCar. Porém, após formar o lago do Campus São Carlos, as águas do rio Monjolinho seguem seu curso passando pela cidade e seguindo até o rio Jacaré Pepira. Assim, a Universidade está comprometida em minimizar os inconvenientes do aumento na vazão da comporta do lago ao mesmo tempo em que garante a máxima segurança dentro e fora do Campus.

“Vamos manter o bloqueio da via enquanto for necessário e, por enquanto, apenas para os veículos. Nós estamos sendo orientados pela Defesa Civil, pelo Corpo de Bombeiros, o Departamento de Águas e Energia Elétrica do Estado e pelo Centro Tecnológico de Hidráulica da USP, que é especializado em barragens, e todos concordam sobre a redução do volume de água no lago o quanto for preciso e seguro. E já estamos definindo como será realizada essa operação priorizando a integridade do que está abaixo do lago”, explicou Libardi.

Outras notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *